Ritmos de parada cardíaca

0

Vamos detalhar os ritmos da parada? Siga conosco que iremos discutir sobre os ritmos cardíacos de parada!

As arritmias ventriculares Fibrilação Ventricular (FV) e Taquicardia Ventricular (TV) são classificadas como graves e podem ser revertidas com a desfibrilação. Por outro lado, a Assistolia (ausência de atividade elétrica) refere-se à parada da contração miocárdica e, sem dúvida, é a mais grave forma de atendimento, não melhorando com a desfibrilação.

Fibrilação Ventricular

É uma desorganização entre a atividade elétrica e a atividade mecânica; resulta em atividade ineficiente do coração, que não consegue manter um rendimento de volume sanguíneo adequado. Caracteriza-se por frequência cardíaca que pode oscilar entre 150 e 500 batimentos por minuto, em que ondulações irregulares do tipo ziguezague substituem os complexos QRS e as ondas T, com amplitudes e duração variáveis.

Observe a imagem a seguir:

Taquicardia Ventricular

A Taquicardia Ventricular é a sucessão rápida de batimentos ectópicos ventriculares, que podem levar à acentuada deterioração hemodinâmica, levando à ausência de pulso arterial palpável, sendo um dos tipos de parada cardíaca.

A Taquicardia Ventricular Polimórfica (TVP) pode ser classificada em sustentada ou não sustentada, de acordo com a duração (maior ou menor que 30 segundos, respectivamente) ou pela presença de sintomas. Assistolia

É definida pela cessação de todas as atividades elétricas ou mecânicas dos ventrículos. Caracteriza-se, no eletrocardiograma, por um traçado isoelétrico em pelo menos duas derivações. No atendimento das vítimas com assistolias, a desfibrilação não funciona, e, nesse caso, será necessário manter as compressões cardíacas e medicações como a epinefrina. Vamos praticar!

  1. (IBGP/2017/CISSUL/MG) Uma equipe de suporte avançado de vida atendeu uma vítima de parada cardiorrespiratória com o ritmo assistolia realizando as seguintes ações não listadas em ordem cronológica de realização.

São ações que devem ser executadas, EXCETO:

a) Desfibrilação.

b) Administração de adrenalina.

c) Compressões torácicas externas.

d) Intubação orotraqueal.

Letra a.

 tipo de ritmo de assistolia não indica o choque, apenas compressões e medicações.

A atividade elétrica sem pulso

É caracterizada pela ausência de pulso detectável na presença de algum tipo de atividade elétrica, com exclusão da taquicardia ventricular ou fibrilação ventricular. A atividade elétrica sem pulso incorpora a dissociação eletromecânica. Caracteriza-se, ao eletrocardiograma, por apresentar complexos QRS alargados e bizarros que não produzem respostas de contração miocárdica eficientes. A dissociação eletromecânica é a modalidade de parada cardíaca de pior prognóstico. Frequentemente está associada ao choque cardiogênico, por falência de bomba ou por rotura do miocárdio com tamponamento cardíaco.

  1. (CETRO/CHS/2014) Analise a imagem abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta o tipo de PCR a que se refere.

a) Fibrilação Ventricular.

b) Taquicardia Ventricular sem Pulso.

c) Atividade Elétrica sem Pulso.

d) Assistolia.

e) Taquicardia.

Letra b.

A monitorização cardíaca é muito importante para o diagnóstico de parada cardíaca. A fibrilação ventricular é uma arritmia cardíaca grave em que não existe sincronização de contração entre as fibras musculares cardíacas, o traçado é todo desorganizado e irregular.

A taquicardia ventricular sem pulso é a sucessão rápida de batimentos ectópicos ventriculares que pode levar à acentuada deterioração hemodinâmica, chegando mesmo à ausência de pulso arterial palpável, quando então é considerada uma modalidade de parada cardíaca.

A atividade elétrica sem pulso é caracterizada pela ausência de pulso detectável na presença de algum tipo de atividade elétrica. Ao monitor aparecem evidências de atividade elétrica organizada, porém o músculo cardíaco está muito fraco ou muito mal perfundido para responder ao estímulo elétrico.

Assistolia significa a total ausência de atividade ventricular contrátil associada à inatividade elétrica cardíaca.

  1. (IBFC/EBSERH/2016) Foi realizado um exame de eletrocardiograma do paciente YHG, 66 anos, internado na Unidade de Terapia Intensiva Adulta. A figura abaixo representa o ritmo cardíaco deste paciente, é correto afirmar que trata de:

a) Assistolia

b) Taquicardia Ventricular

c) Fibrilação Ventricular

d) Extrassístole Ventricular

e) Fibrilação Atrial

Letra b.

Fernanda Barboza

Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia e Pós-Graduada em Saúde Pública e Vigilância Sanitária. Atualmente, servidora do Tribunal Superior do Trabalho, cargo: Analista Judiciário- especialidade Enfermagem, Professora e Coach em concursos. Trabalhou 8 anos como enfermeira do Hospital Sarah. Nomeada nos seguintes concursos: 1º lugar para o Ministério da Justiça, 2º lugar no Hemocentro – DF, 1º lugar para fiscal sanitário da prefeitura de Salvador, 2º lugar no Superior Tribunal Militar (nomeada pelo TST). Além desses, foi nomeada duas vezes como enfermeira do Estado da Bahia e na SES-DF. Na área administrativa foi nomeada no CNJ, MPU, TRF 1ª região e INSS (2º lugar), dentre outras aprovações.

Matricule-se!

garantia-de-satisfacao-30

Deixe uma resposta