Intoxicação exógena. Por: Fernanda Barboza

0

Intoxicação exógena

Introdução

Essa temática é muito importante para a nossa prova, portanto fique ligado e registre os detalhes nas suas anotações.

Vamos trabalhar o conceito, os tipos de intoxicação e as condutas diante da intoxicação exógena. Para realizar esta aula, utilizei informações de Manuais de emergências, uma apostila de Toxicologia Básica da Secretaria da Saúde da Bahia (CIAVE-SESAB) e, claro, muitas questões de concursos, pois o nosso objetivo nesta aula é saber de que forma essa temática cai nas provas.

O tratamento de intoxicação exógena, em geral, segue o procedimento de: afastamento entre paciente e agente intoxicante, observação clínica para verificar a involução ou não dos sintomas e terapia de suporte. Para intoxicações por ingestão, acrescenta-se a lavagem gástrica e a administração de carvão ativado. A indução do vômito tem muitas contraindicações, é usada em casos específicos.

No Brasil, existe um Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX), que tem como principal atribuição coordenar o processo de coleta, compilação, análise e divulgação dos casos de intoxicação e envenenamento registrados na rede do SUS.

Conceitos Importantes

Vamos conhecer os termos mais importantes dentro dessa temática, que incluem: intoxicação exógena, toxicologia, toxicidade e veneno.

Toxicologia: é a ciência que estuda a natureza e o mecanismo das lesões tóxicas nos organismos vivos expostos aos venenos. Segundo definição de Casarett, descrita na apostila do CIAVE/SESAB – Centro de Informação Antiveneno:

Veneno: é toda substância que, incorporada ao organismo vivo, produz, por sua natureza, sem atuar mecanicamente, e em determinadas concentrações, alterações da físico-química celular, transitórias ou definitivas, incompatíveis com a saúde ou a vida.

Na mesma literatura, temos uma frase interessante: “Todas as coisas são venenosas, é a dose que transforma algo em veneno”.

Observe que uma medicação tem a dose de efeito desejado, mas, se utilizada acima da dose terapêutica, se tornará veneno.

Para que haja a ocorrência do envenenamento, são necessários três fatores: substância, vítima em potencial e situação desfavorável.

Toxicidade

É a capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.

  1. (CESPE/TCE-PA/2012 – adaptada) Toxicidade é a capacidade inerente e potencial do agente tóxico de provocar efeitos nocivos em organismos vivos. O efeito tóxico é geralmente proporcional à sua concentração no sítio de ação.

Resposta: Certo.

Não basta entrar em contato com o tóxico, ele deve interagir com o organismo e produzir o efeito.

  1. (CESGRANRIO/2010) No ambiente de uma petroquímica, a alteração mórbida do organismo causada por substâncias endógenas ou exógenas, caracterizada por desequilíbrio fisiológico provocado por alterações bioquímicas, denomina-se processo de

a) erupções.

b) intoxicação.

c) malformação.

d) distrofia.

e) discromias.

Resposta: Letra B.

É o conceito de intoxicação.

A toxicologia interage com vários tipos de saberes e com a avaliação de produtos químicos em muitas áreas.

 Áreas da toxicologia

Causas das intoxicações exógenas:

As intoxicações exógenas podem ser profissionais, acidentais, intencionais e criminosas.

A intoxicação profissional ocorre na exposição ao agrotóxico; as acidentais, com a ingestão de medicamentos por crianças. A ingestão acidental de substâncias tóxicas por crianças é comum, como a ingestão de produtos de limpeza ou de medicamentos controlados de fácil acesso.

Segundo o CIAVE, temos como exemplo de cada grupo de causas:

  1. Acidental: medicamentos e domissanitários em crianças, animais peçonhentos em adultos.
  2. Ocupacional: animais peçonhentos no trabalhador da agricultura, uso de agrotóxicos ou de produtos industriais.
  3. Suicida: medicamentos, agrotóxicos, raticidas.
  4. Violência: homicídios e maus-tratos.
  5. Social: toxicomanias como tabaco, álcool, maconha, cocaína, crack.
  6. Esportivas: doping.
  7. Ambiental: gases e vapores industriais, transporte de cargas químicas, contaminações da água e alimentos.

Aqui está mais um artigo para auxiliá-lo nos estudos para a sua prova! Espero que você esteja estudando muito, pois a vitória já é sua! Juntos somos imparáveis!

____________________________________

Fernanda Barboza é graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia e Pós-Graduada em Saúde Pública e Vigilância Sanitária. Atualmente, servidora do Tribunal Superior do Trabalho, cargo: Analista Judiciário- especialidade Enfermagem, Professora e Coach em concursos. Trabalhou 8 anos como enfermeira do Hospital Sarah. Nomeada nos seguintes concursos: 1º lugar para o Ministério da Justiça, 2º lugar no Hemocentro – DF, 1º lugar para fiscal sanitário da prefeitura de Salvador, 2º lugar no Superior Tribunal Militar (nomeada pelo TST). Além desses, foi nomeada duas vezes como enfermeira do Estado da Bahia e na SES-DF. Na área administrativa foi nomeada no CNJ, MPU, TRF 1ª região e INSS (2º lugar), dentre outras aprovações.

_____________________________________________________________________


Estudando para concursos da área da Saúde? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Deixe uma resposta