4º período: Período de Greenberg. Por Fernanda Barboza.

0

Hoje, iremos trabalhar o último período do trabalho de parto, portanto aproveitem e arrasem nos estudos.

Ele tem início com a expulsão da placenta, ocorrendo ao longo das primeiras horas após a dequitação.

No atual manual do parto normal de 2017, esse período não é referenciado, mas, em outros manuais do MS, como o Manual “Parto, aborto e puerpério”, de 2001, é relatado com detalhes e classifica esse período como maior risco materno, principalmente por hemorragia secundária a atonia uterina.

Vamos entender a hemorragia puerperal e os cuidados que devem ser prestados à puérpera nesse período.

Observe o que o Manual do MS 2001 relata sobre esse período:

Esse risco que o MS relata é referente ao choque hipovolêmico. Nessa fase, portanto, devem-se considerar as seguintes questões:

Globo de segurança de Pinard: útero ao nível da cicatriz umbilical e firmemente contraído.

Segundo o manual das diretrizes do parto normal de 2017, a observação e monitoração da mulher imediatamente após o parto, incluem:

  1. temperatura, pulso e pressão arterial;
  2. lóquios e contrações uterinas;
  3. examinar a placenta e membranas: avaliar suas condições, estrutura, integridade e vasos umbilicais. Transferir a mulher ou solicitar assistência de médico obstetra se a placenta estiver incompleta;
  4. avaliação precoce das condições emocionais da mulher em resposta ao trabalho de parto e parto;
  5. micção bem-sucedida.

Veja a questão:

  1. (AOCP/EBSERH/HUCAM-UF-ES/2014) Sobre os cuidados de enfermagem nas primeiras horas pós-parto, assinale a alternativa correta.
  2. a) Estimular deambulação tardia.
  3. b) Orientar a puérpera para trocar absorvente a cada 2 horas.
  4. c) Atentar para presença de Globo de segurança de Pinard.
  5. d) Orientar a puérpera a deambular imediatamente após o parto

Resposta: Letra c.

Globo de segurança de Pinard é a contração do útero que favorece a hemostasia e controle do sangramento pós-parto.

a e d) Erradas. A deambulação é precoce, mas não nas primeiras horas.

  1. b) Errada. A troca de absorventes ocorre conforme a necessidade.

Condutas no 4º período:

  1. estimular o aleitamento materno precoce na primeira meia hora de vida quando o recém-nascido estiver em boas condições;
  2. inspecionar regularmente o períneo para sangramento importante e observar a quantidade dos lóquios (sangramento vaginal). Absorvente saturado em 1 hora: solicitar avaliação médica;
  3. massagear o fundo do útero em caso de hipotonia uterina;
  4. coletar sangue para exames laboratoriais, caso necessário;
  5. administrar medicações conforme prescrição médica;
  6. monitorar pressão arterial, frequência cardíaca, frequência respiratória a cada 15 minutos;
  7. incentivar a ingestão de alimentos e líquidos conforme tolerado;
  8. manter acesso venoso quando indicado;
  9. reparação de lesões (episiorrafia).

Veja como caiu na prova!

  1. (AOCP/EBSERH/2015) Assinale a alternativa INCORRETA, em relação ao trabalho de parto.
  2. a) O terceiro estágio é o período de Greenberg.
  3. b) O primeiro estágio leva à dilatação do colo do útero em até 10 cm.
  4. c) O segundo estágio se inicia com a dilatação máxima e termina com a expulsão do feto.
  5. d) No terceiro estágio, ocorre o desprendimento da placenta e membranas.
  6. e) O quarto período, que ocorre na primeira hora pós-parto, objetiva a parada do sangramento genital.

Resposta: Letra a.

O período de Greenberg é o 4º estágio que ocorre na primeira hora pós-parto, objetiva a parada do sangramento genital.

  1. (VUNESP/PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP/2015) Nas primeiras 24 horas após o parto, considera-se normal que o fundo uterino esteja situado
  2. a) à altura da cicatriz umbilical, firmemente contraído.
  3. b) à altura do escavado gástrico, com consistência firme.
  4. c) cinco centímetros acima da cicatriz umbilical, amolecido.
  5. d) dentro da cavidade pélvica, impalpável.
  6. e) abaixo da cicatriz umbilical, com consistência pastosa.

Resposta: Letra a.

Essa contração uterina intensa é responsável por conter o sangramento. Vamos praticar mais algumas questões?

  1. (AOCP/EBSERH/2014) A assistência de enfermagem é importante durante todo o período do parto e pós-parto. Com relação ao quarto período, podemos afirmar que
  2. a) denomina-se quarto período do parto (ou de Greenberg) ao período de pós-parto imediato, após a dequitação. Não há, na literatura, consenso sobre sua duração exata, entretanto, inicia-se após a dequitação da placenta.
  3. b) é período de menor risco materno, com possibilidade de pequenas hemorragias, principalmente por atonia uterina.
  4. c) os sinais vitais, especialmente pressão arterial e pulso, devem ser mensurados a cada quatro horas. Da mesma forma, deverá ser feito controle praticamente contínuo da retração uterina e do sangramento.
  5. d) nesta fase, devem-se considerar as seguintes questões: verificação constante da contração uterina (a cada quatro horas), revisão do canal de parto sendo desnecessária a reparação das lesões porventura existentes, por tornar o processo mais traumático.
  6. e) a remoção da puérpera para a sala de recuperação (quando necessária) e enfermaria de alojamento conjunto somente deverá ser efetuada durante o quarto período.

Resposta: Letra a.

  1. b) Errada. O quarto período é o maior risco materno, com possibilidade de hemorragias, principalmente por atonia uterina.
  2. c) Errada. São 15 minutos em média.
  3. d) Errada. A verificação da contração uterina é constante.
  4. (AOCP/EBSERH/2014) São princípios gerais e diretrizes para atenção obstétrica e neonatal:
  5. a) incentivo ao parto cesárea com a redução da cesárea desnecessária.
  6. b) garantia de acompanhante apenas durante o trabalho de parto e no parto.
  7. c) transferência da gestante e/ou do neonato em transporte adequado, mediante vaga assegurada em outra unidade, quando necessário.
  8. d) garantia de atendimento das intercorrências obstétricas e neonatais apenas quando do parto normal.
  9. e) garantia de atendimento a algumas parturientes e recém-nascidos que procurem os serviços de saúde e garantia de internamento, sempre que necessário.

Resposta: Letra c.

  1. a) Errada. Incentivo do parto normal com a redução da cesárea desnecessária.
  2. b) Errada. Garantia de acompanhante durante todo o processo gestacional, pré-parto, trabalho de parto, parto e pós-parto.
  3. d) Errada. Garantia de atendimento das intercorrências obstétricas e neonatais em qualquer tipo de parto.
  4. e) Errada. Garantia de atendimento a todas as parturientes e recém-nascidos que procurem os serviços de saúde e garantia de internamento, sempre que necessário.
  5. (AOCP/EBSERH/2014) O Ministério da Saúde tem orientações específicas sobre a assistência ao parto em todas as suas fases. Assinale a alternativa correta.
  6. a) A presença de acompanhante na sala de parto deve ser desencorajada, pois facilita a ocorrência de infecção puerperal.
  7. b) A ocitocina deverá ser utilizada rotineiramente durante o trabalho de parto, pois aumenta o número de contrações, abreviando o período expulsivo.
  8. c) A realização de episiotomia deve ser reservada somente para os casos onde haja possibilidade de rotura perineal e/ou lacerações, não sendo recomendado seu uso rotineiro.
  9. d) Os Fleet enema são procedimentos fundamentais na prevenção das infecções puerperais e, portanto, devem ser realizados rotineiramente.

Resposta: Letra c.

  1. a) Errada. A presença de acompanhante na sala de parto deve ser encorajada.
  2. b) Errada. A ocitocina não deverá ser utilizada de rotina.
  3. d) Errada. O Fleet enema não é realizado de rotina.

Então é isso, pessoal! Espero que nossos artigos e dicas estejam facilitando a aprendizagem de vocês! Não se esqueçam de entrar no nosso site e adquirir um curso perfeito para vocês. Até a próxima.

 


Fernanda Barboza é graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia e Pós-Graduada em Saúde Pública e Vigilância Sanitária. Atualmente, servidora do Tribunal Superior do Trabalho, cargo: Analista Judiciário- especialidade Enfermagem, Professora e Coach em concursos. Trabalhou 8 anos como enfermeira do Hospital Sarah. Nomeada nos seguintes concursos: 1º lugar para o Ministério da Justiça, 2º lugar no Hemocentro – DF, 1º lugar para fiscal sanitário da prefeitura de Salvador, 2º lugar no Superior Tribunal Militar (nomeada pelo TST). Além desses, foi nomeada duas vezes como enfermeira do Estado da Bahia e na SES-DF. Na área administrativa foi nomeada no CNJ, MPU, TRF 1ª região e INSS (2º lugar), dentre outras aprovações.


Estudando para concursos da área da Saúde? Prepare-se com quem tem tradição de aprovação e experiência em concursos públicos. Cursos online com início imediato, visualizações ilimitadas e parcelamento em até 12x sem juros!

Deixe uma resposta